Igreja da Matriz

A cidade de Piracaia, antiga Santo Antônio da Cachoeira, foi fundada em 16 de junho de 1817 á margem esquerda do Rio Cachoeira. Quando a fundadora Dona Leonor de Oliveira Franco, em princípio do século XIX, chegou ás terras do município de Piracaia, atraída pela beleza da região e fertilidade do solo, resolveu fixar residência.

Onde hoje se encontra a igreja Matriz, antes era uma roça de milho, cercada de palmitais, rodeada por montanhas e cobertas de exuberante vegetação e com um rio serpeando entre elas. Toda essa região pertencia a Dona Leonor, que então fez doação de um terreno e mandou construir por sua própria conta, uma capela sob a invocação de Santo Antônio de Pádua.

Em princípio de 1817, colheu-se o milho, cortaram-se os palmitais e começaram a construção de uma pequena igreja, feita de pau-a-pique e coberta de sapé. A construção realizou-se com a colaboração de parentes de Dona Leonor, sendo a inauguração marcada para o dia 13 de junho de 1817, dia do santo padroeiro. Mas, tal evento só se concretizou em 16 de junho do mesmo ano, porque o Padre da Freguesia de Nazaré Paulista, só poderia chegar nesta data. Mais tarde, Dona Leonor e alguns parentes construíram casas próximas a esta Capela, formando um núcleo que fora denominado Santo Antônio da Cachoeira, em homenagem ao rio. Essa capela foi considerada um Curato em 02 de setembro de 1830. O rápido desenvolvimento do povoado culminou com a elevação a freguesia em 05 de março de 1836. Passou a categoria de município em 24 de março de 1859 e depois a categoria de comarca em 25 de agosto de 1892. O município passou a denominar-se Piracaia em 20 de março de 1906.

No mês de junho de 1817, a Capela de Santo Antônio recebeu o seu primeiro pároco, o Padre Camilo Jose de Moraes Lelliz. Ao Padre Lelliz, deve-se as iniciativas de organizar a futura freguesia de Santo Antônio da Cachoeira. Em 1830o Padre Lelliz, ergue o cemitério, realizou várias melhorias na Capela Santo Antonio, sendo elas as seguintes: colocação de telhas, no lugar de sapé, retirada do Batistério e a aquisição da imagem de Sano Antônio. Com o passar dos anos, devido ao aumento de habitantes, houve a necessidade da construção de uma Igreja maior coube então ao Padre Antônio Gonçalves, realizar tal obra, que se iniciou em 1884 com a demolição da primitiva capela e com o início da construção da nova

Igreja, a qual foi inaugurada em 05 de novembro de 1891 e permanece até os dias atuais. Sua construção é em tijolo colonial e taipa, tendo o estilo colonial e românico, com uma única nave dividida em arcos, que separa o Presbitério do restante da Igreja, suas laterais dividem-se em capelas.

Suas paredes são em tom de ouro. Rica e bela combina elevação espiritual e os mais ricos exemplos de arte sacra do Estado, onde se destaca o majestoso painel no teto da Nave, feita pelo pintor Antônio Navickas, artista que residiu durante muitos anos em Piracaia, onde foram pintados os retratos de todos os Papas da Igreja Católica. Pois ali estão estampadas as figuras dos 262 papas que conduziram a Santa Igreja. É de se ressaltar que raríssimas igrejas no mundo possuem tal acervo. Sendo que em todo o mundo, além de Piracaia, só existe na Basílica de São Paulo no Vaticano. Os arcos laterais do segundo pavimento no fazem sentir na Roma Antiga e nos permitem contemplar o templo do alto.

Mapa: